22.7.05

Sem valores

A regra hoje é ‘‘saiu de cartaz, saiu da realidade’’. O que é ‘‘irado’’ e ‘‘sinistro’’ num dia, deixa de ser no outro e não há mente saudável que consiga acompanhar isso. Faz parte da regra do jogo de uma moral de entretenimento: alienação de qualquer questionamento mais sério — aliás, com as desculpas aos pais, herança deles — medo de pensar e entrega total aos ópios do momento. Tem também as vozes das celebridades rápidas da TV e do esporte. Que acabam se tornando autoridades no passageiro e que acabam ganhando as atenções gerais. Com todo o reconhecimento que merece o talento de um jogador como Robinho, é para se fazer esse estardalhaço com sua permanência ou não, no País? Ontem um amigo me disse que estava cansado de trabalhar tanto em função de um jogador só, eu lhe disse: adoro ele, mas pq não mandam logo ele pra PQP? Quando tantos cientistas e homens brilhantes que se foram daqui não mereceram um décimo dessa insistência, mesmo sendo perdas lamentáveis para a evolução profissional brasileira? A notoriedade que substituiu a qualidade é uma das causas da insegurança de tantos jovens. Outro ponto nevrálgico é a proposta de que a felicidade é a obsessão da forma nesse alucinado cultivo do físico. Não deixa a galera perceber que a gente se apega a corpos, mas só ama idéias e imagens. Viver assim, nesse mundo tão rápido, fugaz, precário torna as pessoas psicologicamente frágeis, envolvidas no nada, sem ter a que se ater. O ‘‘irado’’ de hoje dura muito pouco e acaba não levando a lugar nenhum, não formando um alicerce, não sedimentando valores. E sem eles, não vivemos.

13.7.05

"O que é o amor?"

"Amor é quando uma menina coloca perfume e o menino coloca loção pós-barba. Aí eles saem juntos e se cheiram". Carlos, 5 anos
"Amor é quando você sai para comer e oferece suas batatinhas fritas, sem esperar que a outra pessoa te ofereça as batatinhas dela". Cristina, 6 anos
"Amor é quando minha mãe faz café para o meu pai e toma um gole antes para ter certeza que está do gosto dele". Danny, 6 anos
"Amor é quando mamãe vê o papai suado e mau cheiroso
e ainda fala que ele é mais bonito que o Gianechinni. - Jane, 8 anos
"Quando você ama alguém, seus olhos sobem e descem e pequenas estrelas saem de você". Karen, 7 anos
"Amor é quando seu cachorro lambe sua cara,
mesmo depois que você deixa ele sozinho o dia inteiro". Maria, 4 anos
Viu como é fácil? Ame muito, sempre.

6.7.05

livrinhos para as férias...

...A fofoca não é minha,
só repito o que me disse
uma tia da vizinha
do irmão da Berenice:

Berenice anda espalhando
que Clotilde está pirada
e, se escuta alguém falando,
sai correndo e dá chifrada!

Pode até não ser verdade,
mas a última historinha
é melhor contar mais tarde
no castelo da rainha.

Vamos lá, não se vire,
nem espirre ou solte pum;
feche o bico e se retire
sem fazer ruído algum...

trecho de "Na Casa do Curinga"
May Shuravel - Companhia das Letrinhas