21.2.06

No mistake about it ...

Those who aren't making mistakesprobably aren't makinganything.
Samuel Smiles

Trial and error is the secret sauce of the creative process.
By finding out what doesn't work, we eventuallydiscover what does.
Mistakes Are Great

Fail? I haven't failed! I now have 3,800 ways not to make an electric storage battery.
Thomas Edison

9.2.06

Amar é...


"Amar é simplesmente deixar que a vida nos carregue por caminhos tortuosos
e saber que um último suspiro pode nos libertar, uma lágrima pode nos
devolver a paz interior e um grito revelar a nossa força"...

3.2.06

Espetáculo A Viagem de Quixote


A Cisne Negro Cia de Dança, uma das mais respeitadas no país e no exterior, apresenta o espetáculo A Viagem de Quixote, uma homenagem aos 400 anos da obra Dom Quixote de La Mancha, do genial Miguel de Cervantes. Com música criada especialmente por Fábio Cárdia, coreografia de Dany Bittencourt e desenhos e figurinos de Eduardo Ferreira, Dom Quixote e seu fiel escudeiro Sancho Pança viajam pelas danças e ritmos brasileiros com linguagem universalista, passando pelo maracatu, maculelê, samba de roda, capoeira e outros ritmos.

Dom Quixote luta contra moinhos de vento e feiticeiros, busca o amor galante em Dulcinéia, anda por terras incultas, por mares nunca antes navegados, defendendo seus ideais. Presente, passado e futuro se fundem na figura desse sonhador, metáfora da capacidade humana em crer que os sonhos não envelhecem. Num trajeto dançado pelos bailarinos, ritmos, movimentos e melodias citam territórios culturais diversos em uma viagem coreográfica com Dom Quixote que, de tanto ler o mundo nos livros, foi correr mundo através dessa obra imortal.

A Cisne Negro, nasceu em circunstâncias especiais: sua diretora, Hulda Bittencourt, reuniu alunas do famoso Estúdio de Ballet Cisne Negro com atletas da Faculdade de Educação Física da USP. A união desses universos deu ao grupo sua principal característica: a dança energética, espontânea, viril e de grande qualidade técnica e artística. O grupo se insere dentro do panorama contemporâneo da dança ocidental, e assim, desde o início trabalha com coreógrafos inovadores e jovens. Seus trabalhos foram apresentados nas principais cidades do Brasil, nos EUA, Canadá, Inglaterra, Espanha, Alemanha, Uruguai, Argentina, Chile e África do Sul. Laureada com muitos prêmios, sucesso de crítica e público, em 2006 a companhia comemora 30 anos de existência, sempre pronta a levar a sua inovadora dança aos quatro cantos do planeta.

onde: SESC Santos
Rua Conselheiro Ribas, 136 bairro Aparecida Santos
mapa de localização telefone: 13 3227-5959
Hoje, sexta-feira às 21h00

amanhã, sábado às 18h00
Os ingressos custam R$ 3,00 (geral),
R$ 1,50 (usuários, idosos e estudantes) e
R$ 1,00 (associado)

1.2.06

nossas viagens pelo mundo - parte 1



BALI
O povo de Bali é, talvez, o povo mais doce do mundo. Os balineses cantam na rua. Os balineses sorriem pra todo mundo. Os balineses lhe dão flores, só porque você está ali. Os balineses saúdam você com um “namaste” — “eu saúdo o deus em você” — e eu suspeito que eles realmente acreditam que cada um de nós leva um deus dentro de si.

As coisas mais bonitas em Bali não estão à venda. Pode parecer um exagero, se consideramos as delicadas estatuetas esculpidas em madeira e pedra, e as lindas tapeçarias tecidas em algumas partes da ilha. Mas é verdade: as coisas mais bonitas feitas em Bali são aquelas que as mulheres e meninas fazem com grama e folhas e flores, para oferecer aos deuses em pequenas cerimônias que acontecem várias vezes ao dia. Estas pequenas cestas, tramadas rapidamente, são de uma leveza e complexidade, que parece incrível que a sua única função seja acomodar uma flor, uma vela, um pedaço de incenso, e ser colocadas nas calçadas, no chão, numa encruzilhada, num rodapé, para agradecer aos deuses (e são tantos!) que vivem diariamente com os balineses.

Por fim, a Indonésia é o destino certo para o surfista viajante que tem sede de onda boa.
Então, o que você está esperando?